Venda a sua música, não a sua alma

A frase acima resume bem a ideia por trás do projeto Música Ltda. Esta é a questão a ser desmistificada: tratar a música como um negócio não implica, necessariamente, em perda de autenticidade, originalidade, criatividade ou inovação. E essa abordagem não é novidade.

Não é preciso mudar o conteúdo, mas sim adaptar a embalagem. Porque o desafio é criar uma estratégia para viabilizar a produção musical em um mercado competitivo e global. E o fato de ganhar dinheiro nada mais é do que uma forma de reconhecimento pelo trabalho.

A música é um bom negócio. Então um músico nunca deve sentir culpa por ganhar dinheiro fazendo o que gosta, mesmo que os outros achem que esse trabalho seja pura diversão. Tampouco deve trabalhar de graça, mesmo que ele próprio ache o ofício muito divertido.

A atriz brasileira Cacilda Becker disse certa vez: “Não me peça para dar de graça a única coisa que tenho para vender”. Músicos, escrevam essa frase na parte superior de suas partituras. Repitam em voz alta, como se fosse um mantra. Aprendam a valorizar seu talento.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *