A produção cultural e a atividade empresarial

Já li e ouvi artistas, produtores, críticos e acadêmicos falando sobre a mercantilização das obras de arte.

Não pretendo inovar nessa questão. Minha intenção é trazer esclarecimento. Cada um com sua conclusão.

Se o artista deseja viver da sua arte, sem precisar ter um emprego para pagar as contas, então ele deseja exercer sua atividade artística de forma profissional e organizada, voltada para a produção e circulação de suas obras, sendo remunerado por isso. Então ele deseja ser um empresário.

Veja a definição de empresário contida no Código Civil:

Art. 966. Considera-se empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens ou de serviços.

Uma obra artística que esteja no mercado, disponível para exibição ou venda, recebe o apelido de produto cultural. São dois lados de uma mesma moeda: a arte e o comércio.

O artista, no passado, já foi refém da Igreja, do Mecenas, do Estado. Hoje ele é refém do seu público.

O artista não cria para o mercado. O mercado é o local onde o artista vai viabilizar sua produção. O artista cria, em primeiro lugar, para ele mesmo, para satisfazer sua necessidade de realização pessoal. Em seguida ele expõe sua criação para que outras pessoas se identifiquem, apreciem, se emocionem, valorizem e consumam.

Quem vive de autenticidade é cartório.

Quem vive de sinceridade é tribunal do juri.

Quem vive de pureza é água mineral.

Essas são desculpas inventadas por quem deseja aprisionar o artista em padrões mentais limitados e preconceituosos. Liberdade e criatividade andam de mãos dadas.

Em alguns casos é preciso uma boa terapia para que o artista se conheça, se aceite e encontre seu caminho.

Para mim, artista é o profissional que, processando talento, cria riqueza – emocional, social e financeira.

2 comments

  1. JOHANN says:

    PERFEITA COLOCAÇÃO, EXISTEM MISTERIOS NOS TERMOS “MERCADO”, “PRODUTO”, “MARKETING”, MAS QUEM PAROU PRA ENTENDER ESSES CONCEITOS…? ACHAMOS AS COISAS E NOS GUIAMOS MUITAS VEZES PELO QUE “ACHAMOS”… HOJE EM DIA ME PREPARO PARA ME TORNAR UM EMPRESÁRIO E VEJO ISSO TOTALMENTE ALIADO AO QUE SEMPRE QUIS FAZER…. …ARTE! A DIFICULDADE MAIOR QUE ENCONTRO É CONHECER A MIM MESMO… ENFIM, O TRABALHO CONTINUA. É IMPORTANTE CURTIMOS CADA ETAPA E SEGUIR TRABALHANDO SEMPRE… ABRAÇO

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *